Corregedoria pode investigar promotores que denunciaram Haddad, Alckmin e Richa no meio da eleição

 
Jornal GGN – É destaque na coluna de Mônica Bergamo, na Folha desta quarta (12), que a Corregedoria do Conselho Nacional do Ministério Público pode investigar procuradores e promotores que denunciaram políticos em meio ao processo eleitoral.
 
Segundo a jornalista, um conselheiro do CNMP enviou um memorando à Corregedoria, citando casos contra os presidenciáveis Fernando Haddad (PT) e Geraldo Alckmin (PSDB), além do candidato ao Senado pelo Paraná Beto Richa (PSDB), que foi alvo de ações do Ministério Público estadual e federal, na terça (11).
 
De acordo com Bergamo, o conselheiro do CNMP Luiz Fernando Bandeira de Mello é o autor do memorando. Ele quer que sejam analisados “o tempo decorrido entre a suposta prática dos crimes delituosos e a propositura das ações”, para saber se elas foram aceleradas para causar “eventual impacto nas eleições”.
 
“No pedido de averiguação, o conselheiro diz ser ‘evidente’ que um promotor deve ajuizar uma ação se ela, ‘por acaso’, estiver concluída ‘à época da eleição’. ‘Mas também não pode reativar um inquérito que dormiu por meses ou praticar atos em atropelo apenas com o objetivo de ganhar os holofotes durante o período eleitoral”, afirma a colunista.
 
Candidato oficial do PT, Haddad já denunciado 3 vezes com base na mesma causa: uma delação premiada da UTC. Ele foi representado por caixa 2 (Justiça eleitoral), por improvidade administrativa (cível) e corrupção e lavagem de dinheiro (penal). 
 
Alckmin também teve uma delação da Odebrecht reciclada para ser denunciado por improbidade administrativa.
 
Beto Richa foi preso a pedido do Ministério Público do Estado, mas também é alvo e tem aliados na mira dos procuradores da República que atuam na Lava Jato.
 
Leia também:
 
 
 
 
 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

12 comentários

    • Nem tanto ao céu nem tanto ao mar

      Não da para comparar os casos de Alckmin e Beto Richa com Fernando Haddad. Primeiro porque contra os dois primeiros pesam uma penca de denuncias e sabiam disso ha muito tempo, mas so agora, oh que coincidência, estão agindo em relação a esses dois casos, em plena campanha eleitoral. Quanto ao Haddad, ele ja explicou essa acusação de que Ricardo Pessoa, através de uma grafica, teria passando dinheiro em caixa dois para sua campanha à prefeitura. O procurador atual esta requentando o mesmo prato para ser servido durante as eleições pelas capas da Veja, Isto é, Globo e demais.

  1. Richa não foi preso antes porque tinha foro privilegiado

    De acordo com o Prucurador Federal Carlos Fernando dos Santos Lima, o Beto Richa foi preso agora não por causa das eleições, mas porque perdeu o foro privilegiado. De acordo com o mencionado Prucurador, a investigação da Lavajato:

    “Sempre foi uma investigação apartidária. Já tínhamos chegado a pessoas de diversos partidos, mas, infelizmente, o foro privilegiado é um obstáculo para as investigações”.

     

    Ora, porque as autoridades competentes não investigaram o Beto Richa enquanto ele tinha foro privilegiado?

    Ou o foro privilegiado imuniza contra investigações?

    ação que deteve o tucano foi o Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado) do Ministério Público do Estado. “Sempre foi uma investigação apartidária. Já tínhamos c… – Veja mais em https://webcache.googleusercontent.com/search?q=cache:f7qcpzc8HfwJ:https://noticias.uol.com.br/politica/ultimas-noticias/2018/09/11/apos-chegar-a-1-tucano-lava-jato-diz-que-operacao-e-apartidaria-e-culpa-foro.htm+&cd=1&hl=pt-BR&ct=clnk&gl=br&cmpid=copiaecolam relação com a Lava Jato. Quem comandou a ação que deteve o tucano foi o Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado) do Ministério Público do Estado. “Sempre foi uma investigação apartidária. Já tínhamos c… – Veja mais em https://webcache.googleusercontent.com/search?q=cache:f7qcpzc8HfwJ:https://noticias.uol.com.br/politica/ultimas-noticias/2018/09/11/apos-chegar-a-1-tucano-lava-jato-diz-que-operacao-e-apartidaria-e-culpa-foro.htm+&cd=1&hl=pt-BR&ct=clnk&gl=br&cmpid=copiaecola

  2. Repito, as instiruições

    Repito, as instiruições judiciais só servepra proteger os seus menbros e construir sedes paradisíacas para que seu menbros possam se esncontrar nos finais de semana e xingaremo Pt e falarem das viagens a Miami. É puro corporativesmo. Esta notícia não sei se é pra rir ou chorar. Mas investigar ou punir, jamé!!!!!

  3. Partido da Policia

    Pode ser teoria da catastrofe. Pode ser loucura minha. Mas tudo se repete e tudo parece muito bem orquestrado. O MP investiga Haddad, Alckimim. Manda prender um tucano de alta plumagem que depois de “muiuuiiito” investigado não vai dar em nada. Invade a casa e o gabinete de outro grande governador emplumado tucano para coletar provas de ‘investigações’. Esta hisória já está muito manjada!! Estão se preparando para um novo golpe mas agora na candidatura de Haddad. Estão preparando a opinião pública, através do beneplácito da imprensa golpista para quando partirem para cima de Haddad disserem que não é perseguição, que não está havendo escolha de pessoas e partidos.

    Quem viver,verá!!

  4. Foi muito importante um

    Foi muito importante um debate hoje entre Attuch e Esmael Moraes sobre a prisão de Richa e outros do seu Estado.

    Esmael revelou ter passado mais de uma ano impedido de divulgar seu blog, entre outras violências praticadas por Richa; os mais de 20 anos que essas denúncias se arrastavam sem ninguém investigar nada, mas é claro em dizer que, apesar de tudo, achou imprópria essa prisão. Porém, do muito que conhece dos bastidores da politicagem no Paraná, ele explica primeiro como andam as pesquisas por lá: Requião em prieiro; Richa em segundo, e Flávio Arns vem em terceiro. Esmael crê que essa prisão tem por trás forças poderosas para colocar Flávio Arns na disputa. 

    Como a gente quase nunca vê tucano sendo denunciado, ou, uma vez denunciado, logo se torna livre e solto para voltar ao poder, como faz Aécio agora, pra mim teria que haver algo mais para se jogar na prisão um político que há décadas era pra ter ficado inelegível. 

    Ler na notícia que não deixaram Haddad de fora faz-nos respirar melhor, ou é mais uma pegadinha para somente ele, por fim, ser reduzido a nada? 

    A propósito, soube agora, pelo O Dia que o  Juiz encarregado da custódia do Adélio Bispo, sacramentado pelo MPF, negou o pedido dos advogados do esfaqueador, de se submeter ao exame de sanidade mental, alegando que até agora tudo que se disse a respeito de doenças mentais, de tratamentos com remédios, não se sustentam. 

    Essa negativa, ou a falsa certeza de que um maluco de pedra tem a mente sã, e responde por seus atos, pode virar o jogo em prol de Bolsonaro, que, com seus fãs, querem por que querem jogar pra cima do PT de Haddad e lula a responsabilidade daquele episódio.

    Tá tudo coligado. Até as eleições o Brasil vai virar de cabeça pra baixo. 

    • Sobre o Juiz encarregado da custódia.

      Acabei de ouvir essa notícia no Jornal da Band, Maria !  Ah! os juízes… Agora, inescrupulosamente se acham psiquiatras!  E isso é um perigo! Se observarmos o que havia escrito no facebook do preso, chamará a atenção suas alusões à religião, haja vista ele ter dito que a ordem para o delito veio de Deus. Talvez tenha visto um vídeo de Bolsonaro onde o presidenciável afirma que mataria 30.000. E no facebook de Adélio ele atesta que a maçonaria matou 30.000 comunistas. Fez uma analogia ao vídeo que, possivelmente teria visto. Existem outros detalhes como o olhar e seu comportamento. Tudo isso, pode fazer parte de um sério transtorno mental!  E o Juiz se achou no direito de negar a debilidade mental !  No meu entender, foi uma decisão errada e, irresponsável!  Gostaria muito da opinião de um psiquiatra a respeito ! Talvez não seja conveniente atestar a a doença… Tudo é possível na atual conjuntura… 

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome