“A Igreja Católica não faz barganhas”, afirma CNBB

Conferência Nacional dos Bispos do Brasil se diz “indignada” com proposta de TVs católicas de apoiar governo Bolsonaro em troca de verba

Jornal GGN – A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) emitiu nota de repúdio a respeito de negociação feita entre representantes de veículos de comunicação de inspiração católica e o presidente Jair Bolsonaro, no qual foi prometido apoio ao governo em troca de verbas federais.

Tal reunião foi informada pelo jornal O Estado de São Paulo e a CNBB, por meio de sua Comissão Episcopal Pastoral para a Comunicação, juntamente com a SIGNIS Brasil e a Rede Católica de Rádio (RCR), afirma que as organizações “nem ao menos foram informadas sobre tal encontro”.

“A Igreja Católica não faz barganhas. Ela estabelece relações institucionais com agentes públicos e os poderes constituídos pautada pelos valores do Evangelho e nos valores democráticos, republicanos, éticos e morais”, diz o texto.

Segundo o comunicado, “as emissoras intituladas ‘de inspiração católica’ possuem naturezas diferentes. Algumas são geridas por associações e organizações religiosas, outra por grupo empresarial particular, enquanto outras estão juridicamente vinculadas a dioceses no Brasil. Elas seguem seus próprios estatutos e princípios editoriais. Contudo, nenhuma delas e nenhum de seus membros representa a Igreja Católica, nem fala em seu nome e nem da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, que tem feito todo o esforço, para que todas as emissoras assumam claramente as Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil”.

Sobre a reunião, as organizações que assinam conjuntamente a Nota de Esclarecimento, afirmam ter recebido com estranheza e indignação a notícia sobre a oferta de apoio ao governo por parte de emissoras de TV em troca de verbas e solução de problemas afeitos à comunicação.

“Não aprovamos iniciativas como essa, que dificultam a unidade necessária à Igreja, no cumprimento de sua missão evangelizadora, “que é tornar o Reino de Deus presente no mundo” (Papa Francisco, EG, 176), considerando todas as dimensões da vida humana e da Casa Comum. É urgente, sim, nestes tempos difíceis em que vivemos, agravados seriamente pela pandemia do novo coronavírus, que já retirou a vida de dezenas de milhares de pessoas e ainda tirará muito mais, que trabalhemos verdadeiramente em comunhão, sempre abertos ao diálogo”.

 

Leia Também
Manifestações pela democracia vão ocorrer no Largo da Batata
Histeria incontrolável, pânico coletivo e a ficção em fúria, por Sebastião Nunes
A vida pregressa de Sergio Moro: saiba como ajudar o projeto do GGN

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

15 comentários

  1. Os bozos da “opus dei” usam o catolicismo interpretado-o para encaixa-lo às convenientes convicções. A voz colegiada e prudente da CNBB alerta os desvios.

  2. Diria Karl Marx que:

    “A Igreja de Inglaterra, por exemplo, perdoará muito mais facilmente um ataque a 38 dos seus 39 artigos de fé do que a 1/39 avos dos seus rendimentos”.

    Em regra, os Religiosos querem dinheiro, não importa a procedência. Com os Católicos não é diferente.

  3. A falta de caráter e hipocrisia derrubaram a Indústria da Pobreza, do Coitadismo, da Vitimização, que sustentavam farsantes Política Esquerdopata quanto a Milícia de ‘Padres Comunistas’ que se infiltraram na Igreja Católica. “Hipócritas, tirem primeiramente a trave que cobre sua visão para enxergar com clareza o cisco no olho de seu irmão”(Mt 7/1:5) Barganha é a história da Igreja Católica junto ao Estado Ditatorial Caudilhista Absolutista Assassino Esquerdopata Fascista nestes 90 anos. Agora que CNBB se diz indignada? É muita cara de pau. Pobre país rico. A Imprensa e Mídia estão desesperados, pois sua histórica incompetência, mediocridade e falência sempre foram cobertos pelo Tesouro Nacional, que tirava metade do litro de leite das Crianças para sustentá-las, mantendo a miséria delas. Inclusive centenas de Rádios, Jornais e TV’s Católicas. Mas de muito fácil explicação. NELSINHO

  4. Lamentável falha jornalística: não dizer que TVs católicas são essas, não dizer em que dioceses surgiu tal proposta……jornalismo pela metade…

  5. Visão sugere que encarregados da propaganda bolsonarista querem minar e destruir a uniformidade no comportamento dos membros da Igreja Católica…
    para tanto vai ser preciso dificultar a vida dos grupos que encontram-se separados no campo humano, forçando-os a adotarem estratégias de sobrevivência que, inevitavelmente, permitirão o uso de propaganda bolsonarista

    Nem ouso supor que querem o bolsonarismo como sendo a mais nova religião de um Brasil fechado para o mundo

  6. Mais uma instituição soltando nota café com leite, sem sal, em cima do muro. O que as emissoras sugerem é C O R R U P Ç Ã O . Pq a CNBB não foi direto ao ponto? Onde está o compromisso com a verdade? O que Jesus falaria sobre isso?
    Vergonha. Das emissoras, nada a esperar. Da CNBB, sinto vergonha.

  7. E logo aí acima ( o segundo comentarista) está o cafajeste Zé Sergio, que agora comenta sem colocar nome ou apelido, ou login,sei lá. E eu repito o que tenho reclamado aqui nestes comentários doGGN: por que, afinal, o serviço de moderação não elimina esse filho da puta que vem aqui para provocar as esquerdas…….com a palavra ESQUERDOPATA. mAS A MODERAÇÃO TEM DORMIDO NO PONTO E DEIXADO ESSE CAFAJESTE NOS PROVOCAR …….Esse cafajeste é um bolsonarista enrustido…..veja só o comentário cafajeste que ele faz acima…….em de criticar padres católicos bolsonaristas, que trocam fé por dinheiro, esse cafajeste (ex zé sérgio, vem aqui criticar o catolicismo em geral……….e detalhe, não tenho religião nenhuma mas sou favorável ao papa Francisco, verdadeiramente democrático, humano, sensível às causar sociais……e esse cafajeste Zé Sergio vem dar palpites fascistas onde não devia estar. Ora, vá lá no Antagonista ou outros blogs de direita……e repito: A C O R D E M O D E R A D O R.

    • Valdir, se v. deixar que esse tipo de comentário interrompa o seu bem estar, logo vai estar arruinado. O mundo não existe para nos agradar.
      Este espaço nem é exclusivo e nem é para ser homogêneo. Uma opinião divergente , por mais esquisita que seja, só vem acrescentar

  8. Muito oportuna a atitude e a nota da CNBB. Concordo com Valdir Carrasco ao pedir a identificação do grupelho que se diz “católico” mas quer se vender ao genocídio. Aproveitando, gostaria de deixar às TVs católicas a sugestão de limitarem as propagandas consumistas e imprimirem mais conteúdo relacionado Doutrina Social da Igreja, evitando que a alienação se transforme em campo fértil para os “falsos profetas” que se vendem facilmente a doutrinas anti-cristãs, fantasiadas de “católicas”.

    • Edson, J a propósito de suas observações, tomo a liberdade, se você me permite, de complementá-las bíblica mente.
      Veja em 1 São João Capítulo 2, está claro, a advertência de São João àquela época no início do cristianismo, do surgimento de muitas pessoas e forças contra o Reino de Deus, inclusive, na atualidade, em relação aos evangélicos, protestantes, católicos e demais cristãos, que renegam a fé em Jesus Cristo, por dinheiro, riqueza, bens materiais, poder político, etc, como acontece agora.
      Curioso é que, alguns protestantes e evangélicos, ao citarem o antecristo denunciado por João, sitam apenas, o versículo 18 e omitem o versículo 19, porque será?.
      “18 Filhinhos, esta é a última hora. Vós ouvis­tes dizer que o Anticristo vem. Eis que já há muitos anticristos, por isso conhecemos que é a última hora.
      19 Eles saíram dentre nós, mas não eram dos nossos. Se tivessem sido dos nossos, ficariam certamente conosco. Mas isso se dá para que se conheça que nem todos são dos nossos.”
      Sebastião Farias
      Leigo católico

  9. Confesso, eu assisto tanto as católicas quanto as pentecostais ( algum dos comentaristas já se deu ao trabalho?). Em minha singela opinião, são de dar engulhos. Não consigo aceitar nem as menos ruins. Todos se merecem, até o público.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome