Escolha de Kassio Marques se deu por ‘afinidade’, diz Bolsonaro

Indicado também deveria tomar cerveja ou refrigerante com presidente, que não citou sinais de plágio de seu indicado ao STF

Kássio Nunes Marques, o indicado de Jair Bolsonaro para o STF. Foto: Reprodução

Jornal GGN – O presidente Jair Bolsonaro deixou claro neste sábado que seu indicado ao posto de ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) precisaria ter afinidade e deveria tomar cerveja ou refrigerante com ele.

A declaração foi dada durante transmissão às redes sociais. Segundo o jornal O Globo, Bolsonaro afirmou que tinha uma lista de 10 currículos, e que a escolha de Kassio Marques para a cadeira do decano Celso de Mello não se deu apenas por conta de sua formação.

Além disso, Bolsonaro afirmou que ele e Marques teriam temas “em comum” para debater, como aborto, família, armamento, política externa e livre mercado. Contudo, as acusações em torno do plágio cometido por Marques em sua dissertação de mestrado não foram comentadas.

Em resposta aos bolsonaristas mais radicais, o presidente disse que o fato de Marques ter sido nomeado desembargador pela ex-presidente Dilma Rousseff (PT) não o tornaria petista ou comunista.

 

 

Leia Também
Bolsonaro ataca a Lava Jato para neutralizar Moro e afagar Centrão
É melhor que Jair coloque um progressista no STF, por Ricardo de Oliveira Morais
Mourão agride “dignidade dos que padeceram nas mãos” de Ustra, diz Comissão Arns

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome